Dominando a sua mente sabotadora!

03/06/2019

Como eu superei o medo de falar em público:

Eu sabia que as palavras deveriam sair... mas elas não saiam! Meu corpo estava em choque, meu coração disparava, fazendo com que minha respiração ficasse curta e a voz embargava. O corpo todo tremia, as mãos suavam, é como se um vulcão tomasse conta de mim, deixando meu rosto vermelho e quando eu percebia que isso ia acontecer, tinha um bloqueio e esquecia tudo que eu tinha que falar. 😞

 

Meu medo de falar em público já vem da infância, desde a escola, quando tinha que apresentar os trabalhos na frente de todos os colegas. Eu fazia todo o trabalho com mínimos detalhes, estudava tudo e sabia tudo na ponta da língua, porém chegava na minha hora de apresentar e bloqueava. 😢

 

Passei por muitas situações difíceis, perdi muitas oportunidades e sentia que esse era o grande desafio que eu precisava superar para acreditar finalmente no potencial que eu realmente tinha. 😥

 

⏩ Eu não tinha problemas de falar com apenas uma pessoa, o problema sempre foi um aglomerado de pessoas para me ouvir. Isso me intimidava e me fazia sentir vulnerável. Muitas vezes evitava situações assim, mesmo que inconscientemente.

 

No fundo eu sabia que isso precisava ser superado. Não podia viver a vida inteira sentindo essa dificuldade. Aos poucos, fui lendo sobre autoconhecimento e assuntos relacionados a isso, e na medida que compreendia que a força para mudar estava dentro de mim, fui me desafiando a sair da zona de conforto. Aos poucos fui me colocando a prova, participando de um evento, fazendo perguntas em cursos em que participava, mas ainda não estava sentindo uma grande evolução. 🤗

 

E de repente, em um dia comum de trabalho, recebo o convite para palestrar na Universidade de Santa Cruz do Sul, para o curso de Estética e Cosmética, e falar sobre minha especialidade: Micropigmentação. 🤩

 

No primeiro momento fiquei muito feliz, mas assim que passou o êxtase da notícia, me dei conta que teria que encarar meu maior medo: falar em público.

Durante 3 meses que antecederam a palestra, eu acordei inúmeras noites em pânico do que poderia acontecer. 😖

 

E durante minhas conversas com meu marido, ele me dizia “Você domina esse assunto, do que você tem medo? As pessoas que estarão lá, querem te ouvir falar sobre o que você domina. Não precisa ter medo”.

 

Parecia mais fácil falar do que fazer. Mas tentei interiorizar isso como um mantra. 🧘‍♀

 

Conversei com algumas pessoas e aprendi algumas técnicas que uso até hoje:

✔ Respirar fundo umas 20 vezes antes de entrar, até o corpo relaxar.

✔ Ter algo nas mãos para tirar a tensão

✔ Escolher pessoas na plateia que você sente que te confortam e focar nelas durante a apresentação.

 

Ok, mas dai alguém me sugeriu um remedinho para acalmar os batimentos do coração, que parecia ter vida própria nessas situações. E eu pensei: “É isso... se acalmar os batimentos, eu não vou sentir falta de ar e vou conseguir falar”.

No dia da palestra tomei um quarto do comprimido. Meu coração não acelerou. Pensei: Vai dar certo! 🤩

 

E deu! 😍

 

Antes, ainda senti um nervoso, mas consegui lidar bem com isso. Depois dei todos os méritos para o “remedinho”. 🤔

 

💡 Tempos depois da palestra, conversando com uma médica, ela me explicou que uma dose tão pequena, como essa que eu tomei do “remedinho”, não faria muito efeito. E que provavelmente não foi ele o que me acalmou.

 

Dali em diante, uma ficha caiu e me dei conta de que na verdade o que fez eu me sair bem naquele momento, foi a confiança eu depositei em mim. Foi entrar e saber que eu não ia ficar vermelha e nem esquecer tudo. 💡

 

Daquele dia em diante, eu fiz um acordo comigo mesma: jamais iria evitar uma situação por medo de falar. 😊

 

Simples. Minha mente pode tentar me dizer mil coisas contrárias, crenças de fraqueza, insegurança, lembranças da minha infância em que não conseguia falar podem vir à tona, mas o meu “eu maior” decretou uma lei inegociável dentro de mim.

 

E de lá para cá, incrivelmente, eu me supero a cada dia, falo em palestras, ministro cursos, treino equipes, sem medo... Sempre com um frio na barriga, um nervosinho que faz tudo ficar mais interessante, mas nunca mais deixei o medo me dominar.

 

E o mais importante que aprendi com essa experiência de vida é...

✔ Não sofrer por antecipação: Quando focamos no futuro, não nos aperfeiçoamos no presente, para chegar ótimos no futuro.

✔ Temos um poder muito maior do que imaginamos dentro de nós, e o que vai definir se vamos usá-lo ou não, é a nossa força de vontade.

✔ Nunca se permita viver na zona de conforto, porque ali você irá criar raízes, de onde sair será cada vez mais difícil, até que se torne impossível.

✔ Descubra quais são as suas crenças limitantes ou “vozes” dentro da sua mente, que te enfraquecem, te fazem sentir inferior ou insegura, e construa mentalmente uma fortaleza para sobrepor isso. Cada vez que vier um pensamento assim, você sobrepõe com um de fortalecimento. Em muitas vezes é um processo exaustivo, mas é o que vai fazendo aos poucos você ter uma mente fortalecida, livre e que irá te impulsionar para a frente.

✔ Devemos ser eternos vigilantes dos nossos pensamentos. Se não cuidarmos do nosso templo, que é nossa mente e deixa-la cheia de pensamentos de escassez, vazios e tristes, nunca iremos conquistar nossos sonhos.

✔ Nos momentos de crise, o que diferencia as pessoas é a mentalidade. Se você tiver uma mentalidade de crescimento, resiliente, verá em cada dificuldade, uma oportunidade de crescer.

 

⚠ Portanto, qual o seu medo? Que tal começar hoje mesmo a superá-lo? Eu tenho certeza que você pode, assim como eu! 💗

Compartilhe:
Confira as últimas novidades do Blog Ariane Novello
Top